sábado

Celso Blues Boy: "Escolhi minha vida e escolho minha morte"


Abaixo o depoimento emocionado de um amigo de infância de Celso Blues Boy, publicado no jornal O Fluminense. No texto, o motociclista David Moreno Filstein, que também o acompanhou em alguns de seus últimos shows, confirma que o bluesman não fez nenhum esforço para se tratar e largar os vícios que acabaram contribuindo para sua doença. Fica o registro e o alerta:

Lembrança de um amigo:
"Somos amigos de infância e tive o prazer de conviver muitas das fazes de sua vida. Quando foi expulso de casa na sua adolescência morou na minha casa por alguns meses antes de ser o Celso Blues Boy. Quando descobriu sua veia de Bluseiro, curti suas músicas quase em primeira mão (Aumenta que isso ai é Rock Roll, Sempre Brilhará e outros clássicos por ele gravados para nosso puro deleite). Ao longo de sua jornada tocando com vários músicos e amigos em bares e mesas com muitas cervejas e papos memoráveis lembro de histórias de bastidores que dariam um grande livro !!!!!!

O Celso foi um cara muito ele, hora polêmico outras muito amigo e grande profissional. Batia de frente mesmo com quem tentava mudar sua postura ou vertente musical. Fechou um monte de portas por anos mas sempre seguindo um NORTE o qual ele acreditava ser o certo. Shows maravilhosos e memoráveis por esse mundo a fora e o melhor sendo reconhecido por celebridades como o 'REI' B.B. KING dentre outros.  

Muita musicalidade nas suas veias se tornando o MAGO DA FENDER como era conhecido no meio dos guitarristas de sucesso.

Temos muitos amigos em comum que estão chocados com a perda tão rápida desde o começo de sua doença. Eu, junto com outros verdadeiros amigos ( não quero citar nomes para não ter o risco de esquecer de alguém, acompanhamos esse prematuro fim de um ídolo do Blues. Fui junto com Roberto LLY levá-lo a vários médicos inclusive no INCRA, sendo atendido pelo próprio diretor para darmos início ao seu tratamento com o maior empenho para sua recuperação mas foi sem sucesso. Celso tinha como pensamento que, se tinha que passar por isso ele iria escolher como morrer, tocou um dane-se, literalmente tentando fazer tratamentos alternativos mas se alimentando muito mal e fumando e bebendo sempre sem parar. 

Uma vez fiquei zangado com ele e falei que estava cansado de ver ele definhando e se matando sem se tratar e ele puto comigo me explicou: "escolhi minha vida e escolho minha morte". 
Agora, depois de perder o amigo, entendo sua explicação. Ele não queria morrer numa cama de hospital todo entubado e sem poder fazer nada do que gostava (beber, fumar e estar com os amigos). É muito ruim achar que temos que mudar as pessoas mas ele tinha a sua razão e isso tenho que reconhecer, ele fez valer até o fim.

Nosso último momento juntos foi depois do grande evento Rio Jazz & Blues, em Rio das Ostras. Ao acabar fomos para Macaé, para o aniversário do MOTOCLUBE DE MACAÉ. Ele recebeu uma homenagem e fechou o show que seria realizado em novembro abrindo a apresentação do Nazareth.

A última música que vi ele compor foi um hino para esse motoclube na própria pousada junto com Adriano (vice-presidente), Paulinho (diretor) e Edio (Diretor).
Estive em Cabo Frio na semana passada na casa do Marcelo Penedo que foi um grande manager e produtor do nosso amigo e estávamos falando sobre suas condições de não fazer mais shows e lamentávamos que seria o seu fim se ele não pudesse subir ao palco que sempre foi sua vida. Sua própria família pediu para o pouparmos, pois ele já estava sem condições e mesmo assim queria continuar tocando sempre.

Bom o que falar mais sobre esse cara a não ser agradecer a Deus por não deixá-lo sofrer no fim de tudo e ainda poder ter tido uma convivência com esse grande músico que com certeza está junto de Deus nos mandando a todos um BLUES ABRAÇO!!!!!!!!

 David Moreno Filstein"


Dedé UQG

Nenhum comentário:

Postar um comentário